Atenção:

Habilite o JavaScript em seu navegador (browser) de internet!
Feiras do Brasil
 
     
 
 
     
 
Destaques & Notícias
 
Embrapa e parceiros avançam na organização da 33ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas

26/12/2022
Embrapa e parceiros avançam na organização da 33ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas

Embrapa intensificará a transferência de resultados de pesquisa com a cultura de outros grãos, além do arroz. A soja e o milho, como também a pecuária, ganharão ainda mais destaque nesta edição.

A menos de 60 dias da instalação, pela quinta vez consecutiva em Pelotas, está em preparativos a realização da Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, que estima receber um público superior ao dos eventos passados. Em 2023, o evento atinge a sua 33ª edição, que terá como tema central “Arrozeiros como Produtores Multissafras”. A exposição acontecerá entre os dias 14 e 16 de fevereiro, no mesmo local, na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, que fica situada no Capão do Leão. O evento tem a realização conjunta da  Federarroz, Embrapa, IRGA, e conta com a integração do Senar/RS.  

As novidades para esta próxima realização são várias: mais tempo de interação dos visitantes com os temas técnicos, que contam com participações de vários palestrantes que irão abordar assuntos afins ao tema central; ampliação da infraestrutura para dar mais conforto e acolher mais público e mais parceiros na exposição; atividades tradicionais como o ato solene e a premiação Pá do Arroz com agendamento em datas e horários diferenciados para facilitar a presença do público; e a temática, que alia fortemente as alternativas de produtividade com soluções ambientais, via a diversidade de uso e cultivo nas terras baixas.

Ampliação da Programação Técnica

- Feira terá uma agenda técnica intensa

O novo planejamento da feira estendeu para três dias a realização da programação técnica, o que nas edições anteriores era de somente dois dias. “Foi acordado entre os promotores remanejar o ato solene e festivo da colheita para o segundo dia de realização da feira, e não mais no último dia, pois após a abertura oficial o evento se encerrava, era uma tarde praticamente perdida quanto às palestras e visitas técnicas”, destacou a coordenadora do evento, Angela Velho. A programação ganha mais uma tarde inteira de programação com palestras, seminários e painéis técnicos.

A atual agenda de palestras envolverá mais de 30 palestrantes, com temas afinados à temática central da Abertura da Colheita, propiciando que o participante tenha mais tempo e possibilidades de ter contato com novos temas e/ou assuntos que precisam de maior aprofundamento e troca de experiências. “Estamos muito tranquilos quanto ao nível dos palestrantes e moderadores para esta edição, com conferencistas vindos de vários locais do Brasil, Uruguai e Argentina. Teremos vários painéis, e além da área técnica, um palestrante falará sobre o mercado de grãos - arroz, soja e milho - com visão de comércio internacional, assunto que sempre atrai a atenção do público”, adiantou.

O terceiro dia de palestras no auditório principal se destacará com a apresentação das atualizações do programa Duas Safras, em atuação em todo o Estado do RS durante o ano de 2022, e que contou com a participação de diversas unidades de pesquisa da Embrapa.

- Premiação Pá do Arroz será no primeiro dia

Atividade tradicional dentro da Abertura da Colheita, passa também por modificações no agendamento. Desta vez, acontecerá no primeiro dia do evento e no horário final do dia. A cerimônia acontecerá no dia 14 de fevereiro, às 18h.

Ampliação da infraestrutura

- Auditório com mais acomodações

Um novo espaço para os eventos está em construção, tendo a incorporação da parceria do Senar/RS, que assumiu a instalação de um amplo auditório dentro da área de realização da Abertura da Colheita. “O auditório central da programação passa de 300m² para 450m², o que significa uma capacidade para acolher 350 pessoas bem acomodadas”, disse Velho.

- Alameda e expositores 

As instituições promotoras auxiliaram na retirada de plantas antigas de um bosque de pinus de dentro da área de exposições, o que proporcionou ampliar a área da feira. “Uma nova rua foi planejada, fazendo ligação direta ao auditório de palestras, que ficará agora em frente a vitrine de forrageiras da Embrapa, e esse trajeto dará espaço a mais de 10 novos expositores no evento”, confirmou. O novo trajeto se chama “Alameda A. Costa”. 

Com a ampliação do espaço para expositores, o número de participantes para apresentação de seus produtos também aumentou. Nesta edição foram reservados espaços para cerca de 130 parceiros, os quais irão apresentar diversos produtos como sementes, fertilizantes, produtos para manejo de pragas, maquinários e equipamentos rurais, soluções ambientais, logística, dentre outros.

- Público estimado é maior do que em outras edições

Os registros de números de participantes a cada ano de efetivação da feira indicam que as expectativas de público vêm sendo superadas. A cerca de quatro anos, a Abertura da Colheita trabalha com um público entre nove e 11 mil visitantes, incluindo as estimativas dos anos em que o evento aconteceu de forma híbrida. Para 2023, os realizadores sinalizam uma participação que pode alcançar 15 mil visitantes.

Ampliação das lavouras experimentais

- Lavouras da colheita oficial

Uma das atrações do evento é o momento da colheita, em que as lavouras demonstrativas são efetivamente colhidas com máquinas novas, de grande porte e avançadas. Na edição de 2022, a Abertura Oficial apresentou dois cultivares de arroz, sendo um da Embrapa, para o ato solene de colheita, sendo denominada de Lavoura Breno Prates. Na 33ª edição o diferencial será ainda mais interessante: está programada a colheita dos três grãos mais importantes comercialmente no RS - arroz, soja e milho - e que simbolizam as principais alternativas à diversificação na produção de grãos nas terras baixas.

- Lavouras demonstrativas e roteiros guiados

Outro detalhe nos preparativos para o evento é que as áreas das culturas de grãos serão ainda maiores, maior destaque com a temática da integração lavoura-pecuária e também a expansão da área de Vitrines de Forrageiras, liderada pela Embrapa. “Nesta visão de que o produtor de arroz deve ser um produtor multissafras, a pecuária é um componente muito presente e muito forte, e assim, as pesquisas em forrageiras, pastagens, manejos e insumos ganharão espaço mais amplo e mais atraente”, explicou o coordenador técnico substituto da ETB, Jorge Schafhauser Jr.

Os roteiros guiados também foram redesenhados, e embora os visitantes tenham autonomia para escolher os espaços de visitação, neste ano o participante será sugestionado a também se inserir no roteiro de Integração Lavoura-Pecuária (ILP).

Espaço para a pesquisa da Embrapa

Nas vitrines demonstrativas de grãos da Embrapa, os destaques são os materiais genéticos de arroz, fruto do melhoramento, com as cultivares BRS Pampa CL, BRS Pampeira e BRS A705. A área será dividida, com a instalação de lavouras de soja e milho onde será demonstrado o uso da tecnologia de irrigação em sulco-camalhão, que beneficia o manejo dessas culturas em situações de estresse hídrico, seja por encharcamento ou por seca. 

De acordo com o supervisor do Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia (SIPT), pesquisador Giovani Theisen, além das cultivares de arroz e do sistema sulco-camalhão com soja e milho, haverá uma coletânea de diversas espécies forrageiras em exposição, apresentações sobre como manejá-las, e uma área em camalhões de base larga, técnica de drenagem que favorece ao contexto da produção conservacionista e ‘multissafras’ nas terras baixas. “Além disso, também iremos mostrar o manejo do campo nativo e formas de evitar a dispersão de plantas daninhas pela pecuária, numa ação conjunta com a Embrapa Pecuária Sul e com o IFSul”, lembrou.

Ele comentou também que está programada a instalação de um ‘balcão de negócios’ da Embrapa, junto ao estande institucional da empresa, bem como uma palestra sobre as possibilidades de negócios das tecnologias e cultivares pelo setor produtivo. “Nossa pretensão é ampliar a divulgação das nossas tecnologias, demonstrando aos produtores, assistentes técnicos, imprensa e sementeiros os produtos da Empresa e as oportunidades de negócio existentes, que são várias”, disse.

“A pesquisa está à frente quanto à temática proposta para a Abertura da Colheita (produtores ‘multissafras’), pois atuamos já há alguns anos nessa agenda ao trabalhar com soluções tecnológicas que aliam produtividade e sustentabilidade; a rotação de culturas, por exemplo, sempre fez parte desse contexto e do nosso discurso. Temos diversas tecnologias de manejo para serem apresentadas como opções aos produtores. Destacamos a própria tecnologia do sulco-camalhão, que vem a resolver as questões de tanto do excesso, quanto da restrição hídrica, uma dificuldade latente na produção agropecuária na atualidade das terras baixas”, falou.

Palestras técnicas no estande da Embrapa

Como modelo das edições híbridas da Abertura da Colheita, a Embrapa oferecerá mais de 10 palestras presenciais no seu estande institucional, contando também com a transmissão online, ao vivo, deste conteúdo através das plataformas tradicionais na internet. “Nossa listagem de temas confirmados a serem apresentados acompanha o tema geral do evento, trazendo como pano de fundo quais são os caminhos e os desafios para a implantação de uma agricultura ‘multissafra’ em terras baixas, sustentada na questão da diversificação de culturas”, ponderou Theisen.

Agenda dos Temas Técnicos abordados no estande da Embrapa

1)Restrições para implantação de uma agricultura diversificada em terras baixas e alguns caminhos possíveis;
2)Mudanças climáticas: ameaças e oportunidades à agricultura no extremo sul brasileiro; 
3)Diversificação e o manejo de plantas daninhas (I): prevenção de danos por resíduos de herbicidas em terras baixas;
4)Diversificação e o manejo de plantas daninhas (II): práticas de manejo na Integração Lavoura-Pecuária- como reduzir a dispersão de plantas daninhas pelos bovinos;
5) Boas práticas e recomendações para o manejo correto de insetos em soja;
6) Casos de sucesso do manejo integrado de insetos em soja: da teoria à prática
7) Bioprodutos para o manejo de insetos em soja (e milho) ;
8) Tecnologias da Embrapa a serviço de uma agricultura diversificada;
9) Recomendações técnicas para as novas cultivares de arroz BRS-A705 e BRS-A706 CL;
10) Atualizações e novas funcionalidades do aplicativo PlanejArroz;
11) Requerimentos técnicos para a implementação do sistema sulco-camalhão em terras baixas;
12) Resultados da caravana FertBrasil, abordando o tema da demanda e suprimento de fertilizantes e opções;
13) Integração Lavoura-Pecuária em terras baixas: ‘da teoria à prática’.

https://colheitadoarroz.com.br
 
 
 
Destaque
» São Paulo, capital das feiras, lidera o setor de feiras e eventos empresariais
Últimos Destaques 
17/05/2024
» AgroBrasília completará 15 anos em 2024
17/05/2024
» Feira da Moda Inverno (FEIMI) anuncia a primeira edição de 2024 na Avenida Paulista
17/05/2024
» Caravanas de agricultores familiares chegam para conhecer as inovações tecnológicas na Agrotins 2024
17/05/2024
» Encontro Internacional de Neonatologia reunirá profissionais nacionais e internacionais em São Paulo
16/05/2024
» Bahia Farm Show 2024 terá ampliação de 9% da área total
mais...
  buscar destaques: