Atenção:

Habilite o JavaScript em seu navegador (browser) de internet!
Feiras do Brasil
 
     
 
 
     
 
Destaques & Notícias
 
33ª Expocachaça começa nesta semana no Centerminas Expo

02/07/2024
33ª Expocachaça começa nesta semana no Centerminas Expo

Evento migra para o novo espaço de eventos da capital mineira - o Centerminas - e amplia frentes com a realização simultânea da 2ª edição do Minas+Doce e da 17ª BrasilBier

De 4 a 7 de julho de 2024, a primeira e mais importante vitrine mundial da cadeia produtiva e de valor da cachaça - a Expocachaça - chega a sua 33ª edição, desta vez, ocupando o novo espaço de eventos de Belo Horizonte: o Centerminas Expo (Av. Pastor Anselmo Silvestre, 1495 - União, BH/MG).

Duzentos e cinquenta expositores de todas as regiões do Brasil apresentam uma variedade de mais de 2000 diferentes produtos entre cachaça, gin, cervejas especiais, queijo, azeite, vinho e doçaria mineira. Há ainda uma forte participação de empresas fornecedoras de equipamentos e suprimentos para os setores como Moendas, Alambiques, Dornas, Caldeiras, Empresas de Garrafas, Empresas de Serviços, Laboratórios, entre outras. Mais dois eventos acontecem dentro da Expocachaça, que tem a tradição de ancorar outras cadeias produtivas: a 2ª edição do Minas+Doce e a 17ª BrasilBier.

Em sua 33ª edição, a Feira acumula números expressivos: público acumulado de 2 milhões e 243 mil visitantes; R$480 milhões de negócios realizados nas feiras e no pós-feiras, além de R$128 bi em mídia espontânea em todos esses anos. Para 2024, espera-se receber cerca de 20 a 25 mil pessoas, gerando um total de R$30 milhões em negócios. “Realizar um evento de um produto que tem a mais alta carga tributária do Brasil é sempre um grande desafio. Principalmente agora em julho, que será discutido na Câmara dos Deputados o Imposto do Pecado, taxando ainda mais a cachaça e outras bebidas. Chegamos a pagar 81,3% de imposto e a Inconfidência Mineira aconteceu pelo Quinto do Ouro, que era 20%. O setor movimenta no Brasil cerca de 16 bilhões de reais/ano segundo a Euromonitor internacional, dos quais 80% é consumido por impostos. Ou seja, apesar de tudo, o pequeno produtor ainda busca fôlego e ânimo para participar de eventos e sobreviver neste cenário de tanta insensatez e injustiça com o produto que mais tem a cara brasileira e é a bebida nacional do Brasil por Decreto Federal. Por isso, ficamos felizes em recebê-los, vindos de 19 estados. É, sem dúvida, uma grande vitrine para todos”, explica José Lúcio Mendes, presidente da Expocachaça.

Para José Lúcio, a Expocachaça “é uma oportunidade singular para produtores artesanais de bebidas e da doçaria, vinícolas e produtores de azeite apresentarem seus produtos a um público que aprecia produtos de qualidade, além de estreitar contatos com uma rede de distribuidores, empresários e empreendedores influentes no ramo gastronômico, turístico e hoteleiro”. Mesmo com a tragédia do Rio Grande do Sul, um estande coletivo da Aprodecana, com 10 expositores de cachaça, marcará presença na Feira; além da Secretaria de Turismo da Bahia , com doze expositores; da Agopcal de Goiás, com oito produtores; da Apacs de Salinas com 26 associados, entre outros.

A Feira também apresenta a 17ª BrasilBier, unindo as cadeias produtivas de bebidas: a cachaça de alambique e as cervejas artesanais de nomes como Krug Bier, Laut Bier, Slod, Albanos, Verace, entre outras outras. “Teremos também gin, outros destilados, licores, bebidas mistas e diversas outras”, conta José Lúcio.

O evento conta com o patrocínio master da Cemig por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo de Minas e patrocínio do Sicoob Divicred; Apoio da Belotur e da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

Mapa da Cachaça

Na Expocachaça, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), vai lançar o “Perfil dos Empreendimentos de Cachaça em Minas Gerais” - um diagnóstico que ouviu 106 produtores de cachaça de alambique registrados junto ao Ministério de Agricultura e Pecuária (MAPA), encaminhadas por meio de formulário on-line, no ano passado.

Segundo o Secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Thales Fernandes, a cachaça de alambique é uma tradição dos mineiros e tem um papel importante na geração de emprego e renda, especialmente no segmento da agricultura familiar. “O diagnóstico teve como objetivo conhecer mais profundamente a cadeia produtiva e direcionar ações de promoção e valorização do produto. O setor produtivo conta com a assistência técnica da Emater-MG em várias etapas do processo e a vigilância sanitária do IMA, que garante a qualidade do produto e a segurança do consumidor”, explica.

O diagnóstico reúne informações sobre a mão de obra adotada no empreendimento, origem e volume de produção, envelhecimento e realização de análises da bebida e tributação. Também foram tratados assuntos relativos ao sistema produtivo da cana de açúcar, como origem dessa matéria-prima, tamanho da área cultivada e utilização ou não da queima da planta, dentre outros tópicos.

A cachaça mineira também é produto de exportação. No ano passado, a bebida foi a mais exportada pelo estado, com um valor aproximado de U$1,2 milhão, para países como Uruguai, Estados Unidos, Itália, Países Baixos e Austrália, respectivamente.

2ª edição do Festival Minas+Doce acontece simultaneamente

Segundo dados da Emater, em 2023, Minas Gerais possuía 864 agroindústrias familiares de doces, com uma produção estimada de 1514 toneladas por ano. Pensando em dar mais visibilidade a esse mercado, a Expocachaça realiza a 2ª edição do Festival Minas+Doce, mais uma iniciativa para valorizar outra cadeia produtiva de pequenos produtores e que valoriza a doçaria feita em Minas e conta com a curadoria da professora e mestre em gastronomia e sustentabilidade, Rosilene Campolina.

Produtos como doces e quitandas tradicionais e contemporâneas; o rocambole de Lagoa Dourada; a goiabada de Ponte Nova; o doce de leite da Serra Negra, uma associação de vinícolas de Minas Gerais, uma uma associação de azeites da Serra da Mantiqueira a Assoolive, e entre outros, serão apresentados.

Ao todo, 44 estandes participam do Minas + Doce , incluindo as associações mencionadas de produtores de vinhos, azeites e queijos, alguns deles premiados nacional e internacionalmente. Além disso, a Feira vai realizar também aulas shows e oficinas com entrada gratuita e inscrição no local, 30 minutos antes de cada aula. Participam das aulas os chefs Marlon Sérgio, Léo Gomes, Samuel Nolasco, Ricardo Penna, Arlen Fortes, Mel Marinho, Márcio Almeida, Heloísa Nunnes, Danilo Simões, Omar Brito, Flávio Trombino e Maria José. Outro destaque é o Estande Origem Minas do Sebrae, com 20 expositores.

“O Minas+Doce vem para valorizar e divulgar a doçaria mineira, promovendo seu reconhecimento como potencial gastronômico, turístico e hoteleiro”, explica Rosilene.

Como se trata da Expocachaça, diversos produtores, doceiros e confeiteiras irão oferecer iguarias feitas também com a bebida como trufas de caipirinha, balas de caramelo com limão siciliano e cachaça, biscoitos decorados e aromatizados com cachaça e a “quecachaça” - a tradicional queca perfumada com cachaça e recheada com compota de jabuticaba e o sorvete com cachaça da Migarba.

“Queremos levar a cultura alimentar mineira, com seus alimentos, elementos e utensílios que fazem parte deste cenário histórico e cultural, como o tacho de cobre e as panelas de ferro. O fogão à lenha também estará presente na Arena Gastronômica”, complementa a curadora.

Shows

A Expocachaça também apresenta uma programação cultural para todos os públicos. Confira:

Na quinta, dia 04/07, se apresentam as bandas Beatles Rock Show e Lurex. Na sexta, 05/07, tem Banda Creedence e Rock Beats. Já no sábado, 06/07, shows da Banda Saidera (Tributo Skank) e o melhor do sertanejo com Welinton Costa e Gabriel. Para terminar, no domingo, 07/07, se apresentam as bandas Putz Grilla e Dib Six.

Os ingressos estão à venda pelo site da Expocachaça por R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia entrada). Há também o passaporte para todos os dias vendido por R$110,00 e R$80,00 (meia entrada), e o passaporte galera.

Shows

04/07, quinta-feira

19h: Beatles Rock Show

21h30: Lurex

05/07, sexta-feira

19h: Banda Creedence

21h30: Rock Beats

06/07, sábado

19h: Banda Saidera (Tributo Skank)

21h30: Welinton Costa e Gabriel

07/07, domingo

17h: Putz Grilla

19h30: Dib Six

Ingressos: R$50 (inteira) e R$25 (meia) pelo site da Expocachaça
Passaporte para todos os dias: R$110,00 e R$80,00 (meia entrada)
Passaporte Galera: R$120,00: 4 ingressos para um único dia

Serviço

33ª Expocachaça
De 4 a 7 de julho, das 12h às 0h
Centerminas Expo - Belo Horizonte /MG
Informações: www.expocachaca.com.br
 
 
 
Destaque
» Feiras 2024: veja os números do 1º semestre para BH, CWB, POA, RJ e SP
Últimos Destaques 
19/07/2024
» Expolazer 2024 muda de local e vai para o Distrito Anhembi
19/07/2024
» Brasília Boat Show: Brasília recebe o primeiro Boat Show da região, de 14 a 18 de agosto
19/07/2024
» The Brazil Conference & Expo apresenta oportunidades para impulsionar os mercados interno e externo
19/07/2024
» VisionDay chega a São Paulo com soluções inovadoras para empreendedores
18/07/2024
» Inspiramais prepara edição com muito conteúdo de moda e negócios
mais...
  buscar destaques: